Contencoes Sondasul Engenharia Geotécnica

Contenções

Contenções

Concreto Projetado

É um concreto (mistura de cimento, areia, pedrisco, água, aditivo e adições) que é transportado por um mangote, desde o equipamento de projeção até um bico, que por meio de ar comprimido o projeta a grande velocidade contra a superfície.

O revestimento com concreto projetado é um sistema de proteção de talude, tendo como função reduzir a infiltração e a erosão. No caso, do concreto projetado para túneis, este permite a economia de custos e de prazos, devido a sua auto-sustentação, reduz o custo, pois não é necessária a utilização de fôrmas, de escoramento e desforma, e permite aumento na velocidade de concretagem (especialmente o processo via úmida), reduzindo o prazo de conclusão dos serviços.

Concreto Projetado

Tirantes ou Ancoragens

Tirante ou ancoragem é o elemento semi-rígido ou flexível instalado no solo ou rocha capaz de transmitir esforços de tração entre as suas extremidades.

As ancoragens se subdividem em dois principais tipos: as MONOBARRAS e as de FIOS OU CORDOALHAS.

Os critérios de dimensionamento e ensaios são estabelecidos através da NBR 5629 (Execução de tirantes ancorados no terreno.). Dependendo do tempo de utlização, os tirantes são classificados em provisórios (até 2 anos de utilização, geralmente adotados na contenção das escavações) ou definitivos.

Os tirantes são compostos de três partes principais: a cabeça, o trecho livre e o trecho ancorado. A cabeça tem a finalidade de ancorar o tirantes na estrutura de apoio externa ou na viga de solidarização. O trecho livre deve permitir a livre deformação do aço, sem atrito, e o trecho ancorado faz a transferência dos esforços de tração ao terreno, provenientes da protensão dos elementos de aço.

Normalmente os tirantes são executados através de perfurações, cujos diâmetros variam de 80mm a 150mm. Imediatamente após a execução do furo, junto com a retirada da tubulação de perfuração, ocorre a injeção primária da calda de cimento com a posterior introdução dos elementos de tração, soldados no trecho livre e já munidos de distanciadores. Finalmente, pode ser feita uma nova injeção, o que é feito através de uma mangueira que é parcialmente retirada simultaneamente ao processo de injeção. Este procedimento tem a finalidade de garantir o total preenchimento do trecho ancorado.


Tirantes/Ancoragens

Protensão

Para a medição do comportamento de estruturas utilizam-se ainda as CÉLULAS DE CARGA.

Empregadas em obras de cortinas ancoradas e solo grampeado com o objetivo de monitorar as cargas nos tirantes e grampos, seja para a fase de testes de controle de qualidade ou ao longo da vida útil da estrutura.

Sendo porém, o mais usual aplicar e medir a carga de protensão por meio de um conjunto composto de macaco hidráulico, bomba e manômetro, sendo os deslocamentos da cabeça do tirante medidos por meio de um sistema independente, referenciando a um ponto fixo e, portanto, sem a interferência das deformações.

As cargas devem ser aplicadas de acordo com as características do projeto e do processo executivo previsto. 
Protensão
 
 

Chumbadores e Grampos

Estes elementos diferem das ancoragens por não apresentarem trecho livre e serem passivos, isto é, não são pré-tensionados. E ainda, por contribuírem com sua resistência à tração e ao cisalhamento.

Os chumbadores e grampos têm funções muito parecidas, entretanto, os chumbadores são aplicados em rocha e os grampos em solo. Ambos poderão ter ou não dispositivos especiais na cabeça, conforme projeto.

Assim como nos tirantes, recomenda-se aplicar proteção contra a corrosão nos chumbadores e grampos.

Deve-se realizar o ensaio de arrancamento para se determinar o atrito solo-grampo e, durante a obra, para que sejam confirmados os valores de projeto em pelo menos dois grampos ou em 1% dos grampos executados especificamente para o ensaio. 
Chumbadores/Grampos
 
 

Cortinas Atirantadas

São estruturas de contenção que empregam tirantes. Uma cortina ancorada compreende uma parede de concreto armado, de espessura em geral entre 20 e 30 cm, fixada no terreno através das ancoragens pré-tensionadas. Obtendo-se uma estrutura com rigidez suficiente para minimizar deslocamentos do terreno. 
Cortinas Atirantadas

Cortinas De Trilhos

Um cortina de trilhos compreende uma parede formada por placas pré-moldadas de concreto, unidas verticalmente através de trilhos, cravados no solo. Podem ser empregados tirantes, e em função das cargas nos tirantes, a estrutura se tornar rígida. 
Cortinas de Trilhos
 

Solo Grampeado

É uma técnica bastante prática e comprovadamente eficiente para estabilização de taludes de escavações através do reforço do solo in situ.

O grampeamento do solo consiste em um reforço obtido através da inclusão de elementos resistentes à flexão composta, denominados grampos, que podem ser barras de aço, barras sintéticas de seção cilíndrica ou retangular, microestacas ou em casos especiais, estacas. Os grampos são instalados sub-horizontalmente, de forma a introduzir esforços resistentes de tração e cisalhamento. Aplicações típicas na estabilização de taludes bem como em escavações. 
Solo Grampeado

Reforço Com Geossintéticos

Os geotêxteis e as geogrelhas são os geossintéticos mais utilizados como elementos de reforço em solos de aterros com taludes íngremes ou estruturas de contenção.  
Reforço Com Geossintéticos

Ligue ou nos Contate

Atendemos a todo o Brasil
Curitiba
Paraná
(41) 3222-6386
Florianópolis
Santa Catarina
(48) 4062-1522
Porto Alegre
Santa Catarina
(51) 4062-1522
São Paulo
São Paulo
(11) 4062-1522
Rio de Janeiro
Rio de Janeiro
(21) 4062-1522
Brasília
Distrito Federal
(61) 4062-1522
Campinas
São Paulo
(19) 4062-1522
Outras Localidades

(11) 4062-1522